Roteiros Homiléticos do Tempo Comum Jun/Ago 2011

roteirohomileticojun11Retomamos a 2a parte do Tempo Comum do ano litúrgico, como um tempo propício para o crescimento da comunidade cristã, como discípula missionária de Jesus Cristo, o Messias e Mestre da Justiça do Reino. “Olhando para o centro de nossa fé, o Mistério Pascal de Jesus Cristo, nele encontramos o sentido ou, se preferirmos, os fundamentos que proporcionam uma atmosfera e uma realidade de santificação de nosso tempo, saboreando a ação em favor de toda a Igreja: Corpo Místico de Cristo, Povo de Deus, Templo do Espírito Santo e Sacramento Universal de Salvação” .

Em alguns domingos e dias da semana, presentes neste roteiro, celebramos as solenidades do Senhor que ocorrem neste tempo. Assim contemplamos, com a Santíssima Trindade, a comunidade perfeita em sua relação - ela é a melhor comunidade. Em Corpus Christi, o discernimento da comunidade ao alimentar-se do Corpo e Sangue de Cristo, o que significa alimentar-se de sua totalidade, assimilar seu destino, para testemunhá-lo até o fim. No Coração de Jesus, o amor preferencial de Deus pelos pequenos, humildes e fracos. Com São Pedro e São Paulo, a edificação da Igreja sobre o testemunho de fé dos apóstolos, discípulos missionários exemplares. Na Assunção de Maria, a antecipação de nosso destino definitivo – a glória do céu que jamais se acabará. Os evangelhos dos demais domingos deste tempo nos apresentam, através de Mateus, a dinâmica da justiça do reino, que exige despojamento e doação da vida; semear a Palavra reveladora do reino no ‘chão dos corações’, sempre com alegria e convicção; não ter pressa para a colheita e estar sempre atento às demoras de Deus, nós que somos tão imediatistas. O importante é cultivar a certeza de que, quando se trata do reino, vale a pena investir tudo, afinal de contas trata-se de uma preciosidade. Aprendendo a partilhar com Jesus o pouco que temos, vamos percebendo a abundância dos bens, que são para todos e não para uns poucos privilegiados. As resistências nos acompanham e tentam retardar a revelação do Reino. É preciso caminhar, na força do Espírito Santo, com irmãos e irmãs da comunidade e anunciar que o Reino não conhece fronteiras e é dom oferecido a todos. Ser fiel, resistir sempre, olhar em frente e alimentar a certeza da vitória, como foi vitorioso o mestre Jesus.

Que este subsídio atinja realmente seu objetivo: tornar a Boa Notícia do Reino de Jesus mais conhecida, amada e testemunhada em nossa terra e em todo o nosso continente.

Agradecemos o trabalho do irmão Fr. José Ariovaldo da Silva, frade menor, grande mestre e apaixonado pela liturgia que possibilitará às Comunidades, melhor ‘qualificação’ das celebrações e vivência do Mistério Pascal.

Dom Sérgio Aparecido Colombo

Bispo de Bragança Paulista – SP