Quarenta dias

Dom Severino Clasen
Bispo de Caçador

 

 

Passou o carnaval, entramos na quaresma. Mesmo os sem religião são atingidos indireta ou diretamente na vida nos quarenta dias da quaresma. Quaresma é tempo que antecede a Páscoa do Senhor. Na Páscoa celebramos a vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Nós cristãos, acreditamos que Jesus veio por parte de Deus e instaurou o Reino de justiça no mundo. Nós acreditamos que sua Palavra nos conduz para uma vida santa, digna e justa.

Tempo de conversão

Nossa vida é carregada de mazelas pessoais e que nos enchem de conceitos, vontades, vícios e tantas vezes mudamos a rota da felicidade. Aquela alegria que brota da Palavra de Deus e que nos chama para a conversão. 

Conversão é mudança de vida, é colocar-se de pé diante da luz divina que nos chama para sermos felizes na família, na comunidade de fé e na sociedade em comunhão com toda a natureza. Há uma relação que nos conduz para o bem maior. Jesus Cristo é o bem maior. Entender sua vida, compreender sua mensagem, se tornar amigo de Jesus é uma decisão acertada do ser humano. É um movimento que conduz para o bem viver e conviver consigo mesmo, com a natureza, com as pessoas e com Deus. Não somos seres isolados. Mesmo que a cultura atual esteja mergulhada em atitudes egoísticas, descambando para uma vida doentia e depressiva, mas essa não é a essência do ser humano.

Quaresma é uma chamada de atenção sobre essa postura de vida.

Biomas

Para facilitar o processo de mudança na vida e descobrir o que Deus espera e conta com todos os seres humanos, é preciso refletir sobre a nossa convivência com toda a natureza. O texto base da Campanha da Fraternidade desse Ano nos alerta: “Todos os anos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta a Campanha da Fraternidade como caminho de conversão quaresmal, como itinerário do cultivo e do cuidado comunitário e social. “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” é o tema da Campanha para a Quaresma em 2017. O lema é inspirado no texto do Livro do Gênesis 2,15: “Cuidar e guardar a criação”. A Campanha tem como objetivo geral: “Cuidar da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho”. (Texto Base, pág. 9).

Muitos se perguntam, porque misturar biomas com quaresma? A quaresma não é tempo de conversão, de penitência, de jejum, de oração e de esmola? Sim, é tudo isso e muito mais. Qual é o jejum que nos leva a conversão? Esmola, qual é o nosso olhar para o necessitado? É apenas para justificar perante Deus sua obrigação, mesmo com raiva e desprezo? E a oração? Como nos relacionamos com Deus e com a natureza, dom do Senhor e como cuidamos da nossa casa comum? É justo toxicar a terra, justificando que é para produzir alimentos? Quanto mais o agronegócio justifica suas práticas de uso de insumos para a alta produção, aumentam as mortes de fome e doenças em todas as suas espécies. É preciso refletir sobre tudo isso!

Converter é mudar de hábito e fazer com que a vida, dom de Deus, seja preservada de toda a ganância, roubos, sonegações e corrupções.

Temos quarenta dias para uma profunda reflexão cristã sobre a nossa convivência com a natureza. Ou preferimos soltar Barrabas e condenar Jesus? E se hoje, Jesus viesse do jeito como veio há mais de dois mil anos atrás? Provavelmente os capitalistas o chamariam de comunista, de agitador do povo. Seria condenado por um tribunal político, pois como hoje, não sendo do seu partido seria perseguido e condenado. 

Que cheguemos na festa da Páscoa com maior consciência e dever de cristão para humanizar as instituições civis e religiosas. Que a mensagem do Ano Mariano seja de amor, de justiça e coragem que nos une e nos traga segurança e liberdade.