Comissão para a Juventude reúne bispos referenciais e coordenadores regionais em Brasília

Proposta foi "avaliar a caminhada, enxergar novas possibilidades e animar em todo o país o projeto Rota 300"

O Encontro Nacional da Comissão para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) aconteceu nos dias 16 a 17 de fevereiro, no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF). A iniciativa contou com a participação dos bispos referenciais e coordenadores do serviço de evangelização da juventude de todos os regionais do Brasil.

Segundo o presidente da Comissão para a Juventude, dom Vilsom Basso, a reunião teve como objetivo avaliar a caminhada da evangelização da juventude no país, de acordo com as orientações da CNBB, à luz do Documento 85 da CNBB "Evangelização da Juventude" - Documento de número 3 nas Edições CNBB. Além disso, dom Vilsom explicou que as discussões do grupo giraram em torno do projeto assumido pela Comissão: o Rota 300, que norteia e conduz a evangelização da juventude “de modo amplo, articulado e profundo”.

O Rota 300 faz memória dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Rio Paraíba do Sul. A iniciativa desenvolve-se a partir da peregrinação da imagem nas dioceses do Brasil, no período de 2015 a 2017. “Esse encontro que nós estamos realizando e que é o encontro anual, ele tem essa missão que é avaliar a caminhada, enxergar novas possibilidades e ir animando em todo o país o projeto de missão que a CNBB oferece a todas as expressões juvenis de nosso país: o Rota 300”, considerou dom Vilsom. 

A 2ª Romaria Nacional da Juventude também esteve presente na pauta do encontro. Neste ano, o evento acontecerá nos dias 29 e 30 de abril, durante a 55ª Assembleia Geral da  CNBB, em Aparecida (SP). Parceria entre a Comissão e a Reitoria do Santuário Nacional de Aparecida, a romaria pretende reunir caravanas de várias regiões do país. Dom Vilsom explicou que, na reunião, o grupo pôde definir grande parte da programação, inclusive as catequeses que os bispos irão proporcionar aos jovens. “Nós acabamos de definir os detalhes dessa romaria, confirmar as catequeses e sentir dos bispos, padres e irmãs dos regionais o apoio total à segunda Romaria Nacional da Juventude”, destacou. As inscrições já estão abertas.

Outro assunto abordado na reunião anual da Comissão foi a escolha do tema da próxima Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que será realizada no Vaticano, durante o mês de outubro de 2018. De acordo com o comunicado da Santa Sé, o papa Francisco estabeleceu a temática “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional” para o próximo Sínodo. Para dom Vilsom, a iniciativa foi vista como um “Kairós”. “Nós olhamos para esse Sínodo como um presente de Deus que o papa Francisco nos dá, colocando a juventude no centro da atenção da Igreja e do mundo”, pontuou.

“Por último, aqui nós debatemos as maneiras de como nós - os bispos referenciais, os padres responsáveis e as irmãs - podemos animar os bispos e os nossos regionais a envolverem a juventude e a estimularem a participação efetiva dos jovens no sínodo”, finalizou.

Abaixo, segue a carta final do encontro:


Evangelização da Juventude: desafios e perspectivas pastorais!

 

Nós, Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude e bispos referenciais dos regionais com seus assessores, reunidos em Brasília de 16 a 17 de fevereiro de 2017, guiados pelo Doc 85 da CNBB: “Evangelização da juventude, desafios e perspectivas”, sob as luzes do Espírito Santo, reafirmamos o compromisso com a formação integral das novas gerações que são pressionadas com tantas propostas, e necessitam de discernimento e coragem para trilhar seu caminho de vida cristã. 

Entendemos que a Evangelização da Juventude não pode ser sustentada por um único jeito de expressar a Fé, mas que é preciso respeitar e acolher sua diversidade de expressões. 

A proposta do Setor como instância de comunhão e participação trouxe muitos avanços, mas também alguns riscos que têm nos preocupado. Um eles é a não adequada compreensão do Setor que pode enfraquecer a identidade das expressões juvenis. Por isso, precisamos articular o Setor juventude de modo que cada expressão juvenil mantenha sua identidade e contribua no enriquecimento da pastoral de conjunto.

Destacamos a importância e necessidade de um novo impulso: nas estruturas de acompanhamento, na formação de assessoria e nos projetos de missão em vista de uma Igreja em saída, ao encontro das periferias existenciais (EG), sociais (DOCAT)e ecológicas (Laudato Si).

Estamos certos de que o presente e o futuro da Igreja passam pela formação das novas gerações e da nossa opção afetiva e efetiva pela juventude em seu aspecto plural. Deixamos nosso apelo aos irmãos no episcopado para terem um olhar atento na nomeação da assessoria diocesana e, sobretudo, com apoio efetivo no processo formativo a serviço das juventudes.

Neste contexto, acolhemos com imensa alegria o anúncio do próximo Sínodo dos Bispos para 2018 sobre juventude que tem como tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”; em que nosso querido Papa Francisco manifesta um grande apreço e confiança na juventude para reconhecer e acolher o chamado ao amor e à vida plena.

Incentivamos todos a contribuírem no processo do Sínodo, desde a escuta atenta aos jovens até os desdobramentos na preparação com valiosas e corajosas propostas, em vista da celebração deste Sínodo. Louvamos e bendizemos a Deus pela graça da realização de um evento tão marcante para a juventude neste tempo de mudanças. 

Somos imensamente gratos pelo grande empenho e zelo dos irmãos bispos na evangelização da juventude em suas respectivas dioceses.

Confiamos a Nossa Senhora Aparecida todas as iniciativas em prol da juventude brasileira. Que a Virgem Imaculada nos acompanhe e interceda junto a seu amado Filho Jesus na caminhada evangelizadora.  

 

Brasília, 17 de fevereiro de 2017.

 

CEPJ  E BISPOS REFERENCIAIS DA JUVENTUDE DA IGREJA DO BRASIL

Dom Vilsom Basso – CEPJ e Regional Nordeste 5

Dom Nelson Francelino Ferreira – CEPJ e Regional Leste 1

Dom Antônio Emídio Vilar - CEPJ

Dom Giuliano Frigeni – Norte 1

Dom Irineu Roman – Norte 2

Dom Giovane Pereira de Melo – Norte 3

Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos – Nordeste 1

Dom Antônio Carlos Cruz – Nordeste 2

Dom Juarez Souza da Silva – Nordeste 4

Dom Cláudio Nori Sturm – Leste 2

Dom Adelar Baruffi – Sul 3

Dom Odelir José Magri – Sul 4

Dom Adair José Guimarães – Centro Oeste