Diocese de Ji-Paraná (RO) intensifica processo de iniciação à vida cristã

 Diocese está implementando Itinerário Catequético proposto pela CNBB

Com o objetivo de unir forças para intensificar o processo de iniciação à vida cristã, a Comissão para Animação Bíblico-Catequética e o Conselho Missionário Diocesano (Comidi) da diocese de Ji-Paraná (RO) promoveram um encontro, nos dias 03 a 05 de fevereiro, no Centro Diocesano de Formação. O evento marcou parceria inédita entre a Infância e Adolescência Missionária (IAM) e a Catequese no regional Noroeste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Na ocasião, assessores e catequistas refletiram sobre a catequese de inspiração catecumenal centrada na Palavra de Deus, conforme o Itinerário Catequético da CNBB. Debateram também sobre os conceitos da missão e a contribuição da IAM nesse processo, sua metodologia, carisma e espiritualidade. O encontro foi assessorado pelo secretário nacional da Pontifícia União Missionária, padre Jaime C. Patias. “A minha impressão é que aqui começou um processo muito bonito de colaboração para formar verdadeiros discípulos missionários. É uma novidade ver esse trabalho articulado dessa forma”, destacou o padre.

“A catequese é indispensável para a iniciação das crianças, adolescentes, jovens e adultos à vida cristã. Neste processo, a IAM não substitui a catequese, mas contribui com a dinâmica da missão. Por isso esta Obra Pontifícia fundada na França por dom Carlos de Forbin-Janson, em 1843, pode dar uma grande contribuição para a catequese de inspiração catecumenal. A diocese de Ji-Paraná está implementando o Itinerário Catequético proposto pela CNBB que deve renovar a catequese. E incluiu a IAM nesse processo, o que me alegra muito”, completou o padre.

Para a catequista Rita Aparecida Pacheco, da paróquia Nossa Senhora Auxiliadora de Vilhena, o encontro foi muito esclarecedor. “Penso que será uma união que vai vingar, não vai ser nada de estrelismo ou modismo. Essa união entre a IAM e a catequese vai somar forças numa pastoral de conjunto. Estou ansiosa e ao mesmo tempo, sabendo que é um processo que aos poucos conseguiremos implantar nas comunidades”, pontuou.

Para o assessor da IAM, Bruno Reis Basílio, que atua na paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Ji-Paraná (RO), o encontro foi muito aguardado. “A parceria com a catequese é uma oportunidade para aumentar nosso grupo levando mais pessoas para a missão, conforme nosso carisma: salvar, batizar e enviar. Espero que esse trabalho dê bons”, enfatizou. 

As coordenações da catequese e da IAM continuarão o diálogo e darão o auxílio necessário para que a dinâmica seja implantada em todas as paróquias e comunidades da diocese. Segundo a coordenadora da Catequese, Ilza Vidal, o desafio agora é alinhar os entendimentos: “O importante é que os catequistas ficaram muito animados com a proposta. Estou conversando bastante com as lideranças regionais e tem sido assim com todos que participaram do encontro”.

Diocese de Ji-Paraná

Na diocese de Ji-Paraná (RO) já existe um projeto para que, Catequese e IAM, caminhem juntas de forma articulada. O trabalho funciona com a IAM atendendo as crianças menores de nove anos, que não estão inseridas no Itinerário Catequético. E ao longo do processo, entre a celebração dos sacramentos da Eucaristia e Crisma, a IAM vai alimentando a chama da missão numa perspectiva universal. As mais de 1300 comunidades da diocese oferecem às crianças, pequenos grupos também chamados de sementinhas e formiguinhas. Os pequenos vão sendo inseridos na dimensão missionária e são protagonistas no trabalho em favor das crianças do mundo inteiro.

Para o trabalho, já existem os subsídios produzidos pelas POM em Brasília (DF), mas a Comissão para Animação Bíblico-Catequética de Ji-Paraná (RO) elaborou três subsídios de iniciação à vida cristã: um para crianças, outro para adolescentes e jovens e um terceiro para adultos. O bispo diocesano, dom Bruno Pedron, enviou uma carta aos párocos apresentando os subsídios inspirados no Itinerário Catequético da CNBB e que devem ser utilizados em toda a diocese.

Com informações das Pontifícias Obras Missionárias (POM)