Luz para todos

Dom José Alberto Moura
Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

A escuridão da pessoa humana incapacita-a para enxergar o ideal de vida e o sentido da caminhada terrestre; só pode ser superada com a ação de outros e dos acontecimentos. A fé religiosa provoca esse estímulo para dar a essa pessoa a iluminação necessária para visualizar aquela direção.

A visita dos sábios do oriente, os Reis Magos, ao Emanuel, que acabara de nascer em Belém, faz marcar o porquê de sua vinda, sendo luz não só para os judeus, mas também para toda a humanidade de todos os tempos. A existência e a razão de ser dos homens e mulheres têm sua base de sustentação em Deus. Sozinho o ser humano não é capaz de viver como imagem e semelhança divina. Mesmo as religiões humanas por si só não têm consistência de fornecer condição de vida plena e sim a pessoa do Filho de Deus. Só Ele mostra sua força divina provada por sua ressurreição. Nenhum ser humano tem condição de dar a vida eterna a ninguém. Só Deus o dá. Com o Natal de Jesus, inicia-se o processo da salvação da humanidade. Ele vem ser a ponte de ligação do humano com o divino, restaurando a justiça misericordiosa do Criador.

Os profetas dentre os judeus anunciaram com muita antecedência a alegria advinda com a chegada do Salvador (Cf. Isaías 60,2-6). De fato, em meio a tantas desgraças no planeta com a ação da injustiça humana, a humanidade ainda tem jeito. Basta aceitar as coordenadas do Filho de Deus, que vem iluminar o caminho de recuperação da vida, da justiça, da solidariedade, da fraternidade e da paz. Um mundo novo é possível, mas é preciso haver a aceitação do Cristo,  que transforma os corações de quem aceita segui-lo, comprometendo-se em realizar a prática da alteridade. Por amor a Deus se ama o semelhante, a ponto de a pessoa se doar pelo bem do outro, a partir dos mais fragilizados.

Paulo lembra que, a partir da vinda de Cristo, também os não judeus ou os pagãos, são admitidos à salvação (Cf. Efésios 3,2-6). Isso indica o poder do Emanuel. Ele não é apenas um líder fundador de uma religião humana e sim o Deus feito homem, para nos humanizar e divinizar. Sua força salvadora é para todos. Os que têm o dom da fé nele são encarregados de espalhar sua natureza e seu Evangelho para todas as pessoas e nações. A força missionária de quem o segue é de fundamental importância.

A Epifania de Jesus, ou sua revelação para todos os povos, faz de quem o segue verdadeiro apóstolo para promover a vida plena e de sentido para todos. Assim teremos mais entendimento, mútua ajuda, respeito à dignidade humana e a verdadeira paz.

A estrela dos Reis Magos é a mesma para nós hoje, se a expressarmos com a graça da fé, que nos atrai para contemplarmos a razão da vinda do Filho de Deus e o anunciarmos com a prática da verdade, da caridade e da justiça. Ele veio para nos ajudar a implantar a nova ordem social, que nos faz viver no amor.