Arquidiocese de Olinda e Recife vai celebrar missas de Natal nos presídios da Região Metropolitana

“Levar a Palavra, especialmente neste tempo de Natal, é reforçar em nossos irmãos encarcerados a esperança de dias melhores”, diz Dom Fernando Saburido


A Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Recife e Olinda (PE) realiza até o dia 24 as celebrações natalinas nas unidades prisionais da região metropolitana capital pernambucana. Serão visitadas a partir desta quarta-feira, 14, dez cadeias públicas da cidade. O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, explica que visitar os presos é uma das obras de misericórdia corporais, mas “é através desta obra corporal que podemos exercitar todas as obras espirituais de misericórdia, que são instruir, aconselhar, consolar, confortar, perdoar, suportar com paciência e rogar pelos vivos e pelos mortos”, disse o arcebispo. “Levar a Palavra, especialmente neste tempo de Natal, é reforçar em nossos irmãos encarcerados a esperança de dias melhores”, completou. Ao todo, CAP Carcerária mantém atividades regulares nos presídios e atende cerca de 25 mil pessoas em doze unidades da Região Metropolitana do Recife.

A programação natalina nos presídios inclui, além das celebrações eucarísticas, a doação de kits de higiene pessoal e limpeza para os detentos. Para isso doações estão sendo recolhidas pela cúria. Nas vésperas da celebração do nascimento de Jesus, o arcebispo dom Fernando Saburido, vai levar sua mensagem de Natal aos encarcerados, celebrando a missa natalina no dia 21 de dezembro, às 15h, na Penitenciária Agroindustrial São João, na Ilha de Itamaracá, litoral norte de Pernambuco. Já o bispo auxiliar, dom Antônio Tourinho, vai celebrar a missa no dia 22, às 15h, no Presídio Aspirante Marcelo Francisco (PAMFA), que é uma das unidades do complexo prisional do Curado, no Recife.

Pastoral Carcerária

Toda ajuda é bem-vinda, mas para fazer parte da Pastoral Carcerária, é preciso estar preparado para a realidade entre os muros. Durante todo o ano, formações específicas são oferecidas para novos candidatos a agentes de pastoral e cursos de reciclagem são feitos pelos agentes veteranos. Segundo o presidente da Comissão Arquidiocesana de Pastoral, Lenilson Freitas, a formação é indispensável para ser missionário no cárcere. “Precisamos estar firmes na fé, dominar a oratória, estar fortalecidos psicologicamente”, disse.

Além da formação, a Pastoral exige que o candidato tenha ao menos 18 anos e traga documentos como certidão de antecedentes criminais, xérox de identidade e CPF, comprovante de residência, duas fotos 3x4 e declaração de apresentação do pároco ou coordenador arquidiocesano do movimento ou serviço do qual participa na Igreja.

Veja a programação das missas nos presídios da RMR:

Com informações da ascom da Arquidiocese dede Olinda e Recife