Pastoral da Saúde no regional NE 2 desenvolve projeto de controle social da Hanseníase

Iniciativa precisará de voluntários para atuar nas paróquias de Recife

Com o objetivo de contribuir para a redução do preconceito social e realizar apoio na busca de mancha na pele suspeita de hanseníase, a Pastoral da Saúde do regional Nordeste 2 (NE 2) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) iniciou o projeto “Anjos da Pastoral da Saúde no Controle Social da Hanseníase”. A iniciativa acontece por meio de parceria entre a Pastoral, o Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde do Recife.

Com duração até setembro de 2017, a ação será realizada no Recife e ainda contribuirá para que as pessoas tenham mais informações sobre a doença. O coordenador da Pastoral da Saúde no regional Nordeste 2 da CNBB, Vandson Holanda, afirmar ser relevante a contribuição de voluntários. “A participação dos voluntários da Pastoral da Saúde nesse projeto vai ser importante para ajudar os pacientes e familiares das comunidades mais carentes do Recife”, enfatiza.

Durante o lançamento do projeto, no dia 2 de dezembro, ocorrido na festa do Morro da Conceição, foram oferecidos exames, detecção e repasse de informações preventivas sobre a Hanseníase, com a orientação de médicos e técnicos da área de saúde.

De acordo com a arquidiocese de Olinda e Recife (PE), o projeto pretende replicar entre as Pastorais da Saúde de 17 paróquias do Recife as ações de acompanhamento de casos de Hanseníase, motivando os pacientes a prosseguir e concluir o tratamento e auxiliando na redução do preconceito social com a doença. 

O arcebispo metropolitano, dom Fernando Saburido, saudou a iniciativa do projeto Anjos da Pastoral no Controle Social da Hanseníase e recordou que a Hanseníase é uma doença antiga, que traz consigo um forte estigma, por isso é necessário esclarecer a população sobre o tratamento. “Fico feliz por esta campanha acontecer na Festa do Morro, porque o povo terá oportunidade de louvar a Deus e de cuidar da saúde”, destacou.