Arquidiocese do Rio lança metas para a Pastoral da Pessoa com Deficiência

A estratégia é tocar o coração e a mente do surdo e do cego jovem

A Pastoral da Pessoa com Deficiência (Pasped) da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ) - da qual fazem parte as Pastorais dos Surdos e Cegos - reuniu-se, no sábado, 19, para um momento de avaliação dos trabalhos realizados ao longo deste ano de 2016. As equipes de coordenação paroquiais e intérpretes lançaram também os desafios para 2017. No próximo ano haverá uma ação concreta para acolher e ir onde o jovem está e, através das mídias sociais, traçar um diálogo que toque o coração e a mente do surdo e do cego jovem.

Durante o dia de encontro, os agentes da Pastoral, leigos e religiosas, discutiram estratégias e atitudes para que a ação evangelizadora da Igreja aconteça na arquidiocese.

Recentemente foi criado o site da Pasped (www.pasped.org.br) que tem como objetivo dar visibilidade ao trabalho eclesial e social desenvolvido há décadas na Igreja. A arquidiocese do Rio tem uma infraestrutura de apoio e de instrumentos facilitadores para as pastorais que constituem a Pasped. São utilizados recursos de mídia, espaços de serviços com funcionários com deficiência na Mitra e apoio nas diversas iniciativas apresentadas. “Os desafios são grandes, mas a força, a dedicação e o amor são virtudes de todo cristão voluntário que se propõe a trabalhar com os cegos, surdos, cadeirantes e com as pessoas com deficiência intelectual, declara o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, Cesar Bacchim.

Com informações da Pasped da arquidiocese do Rio de Janeiro