Regional Leste 2 aborda exortação Amoris Laetitia em assembleia

Encontro também reflete sobre Documento 100 da CNBB “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia - A conversão pastoral da paróquia”

Arcebispos, bispos, coordenadores diocesanos de pastoral, presbíteros, leigos e leigas das arqui/dioceses de Minas Gerais e do Espírito Santo se reuniram em Belo Horizonte (MG) para a Assembleia Pastoral do regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O tema proposto para a reflexão neste ano foi a exortação apostólica pós-sinodal Amoris Laetitia – sobre o amor na família, do papa Francisco. Outra base para as reflexões do encontro, que foi concluído nesta quinta-feira, 10, foi o Documento 100 da CNBB “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia - A conversão pastoral da paróquia”.

O arcebispo de Uberaba (MG) e presidente do regional Leste 2 da CNBB, dom Paulo Mendes Peixoto, analisou que a Igreja “busca ser cada vez mais acolhedora, fraterna, superando posturas condenatórias” e lembrou que a Assembleia é oportunidade para “fortalecer a unidade entre as dioceses que integram o regional Leste 2, o segundo maior do Brasil”.

O acompanhamento às famílias, destacado pelo papa Francisco na exortação Amoris Laetitia, também foi apontado pelo bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG), dom João Justino de Medeiros Silva, como relevante temática durante a Assembleia. “Isso significa criar proximidade, escutar, conhecer realidades, trazer as famílias para as comunidades”, afirmou. A meta, conforme pontua o bispo, “é seguir as orientações do papa Francisco e ir ao encontro do outro”.

Questão ecológica

A tragédia ocorrida no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), há pouco mais de um ano, também foi lembrada pelos participantes. O bispo de Divinópolis (MG) e secretário do regional Leste 2 da CNBB, dom José Carlos de Souza Campos, destacou a questão ambiental no rol das demandas de cada tempo às quais a Igreja é desafiada a responder. “A Igreja precisa fazer ecoar o grito que pede socorro e o cuidado com a Casa Comum”, destacou.

O bispo de Colatina (ES) e vice-presidente do regional, dom Joaquim Wladmir Lopes Dias, também recordou o desastre ambiental que afetou de forma acentuada o território de sua diocese, que é banhada pelo rio Doce, tomado pela lama tóxica que desceu da barragem de rejeitos de minério que se rompeu. O bispo recordou o sofrimento das pessoas diretamente atingidas, a exemplo dos pescadores e pequenos agricultores, que perderam o meio de subsistência, além das pessoas que ficaram sem suas casas. “Já faz um ano que a barragem se rompeu e ainda não temos um laudo definitivo sobre a qualidade da água que a população consome”, lamentou.

Amor na família 

Durante o segundo dia de Assembleia, o vigário geral da diocese de Cachoeiro do Itapemirim (ES), padre Antonio Tatagiba, assessorou a apresentação do tema central do encontro, a exortação apostólica Amoris Laetitia. O presbítero destacou pontos da exortação que correspondem à realidade atual das famílias, afirmando que o caminho sinodal “é importante para analisar a situação das famílias, alargar perspectivas e reavivar a consciência sobre a sua importância". 

Após a exposição de padre Antonio, os participantes da assembleia reuniram-se em grupos, separados por províncias eclesiásticas, para refletir sobre o tema central. Foram propostos questionamentos sobre como o planejamento pastoral, inclusive a Pastoral Familiar, tem levado em consideração o critério "de que o tempo é superior ao espaço"; também sobre como a Carta Apostólica Mitis Ludex Dominus Lesus, na forma de Motu Próprio, está sendo colocada em prática. Em relação ao Documento 100 da CNBB, que também foi temática de estudo, foi questionado aos grupos como está o processo de a paróquia ser uma rede de "comunidade de comunidades”.

Na noite de quarta-feira, os participantes da Assembleia reuniram-se no Santuário da Saúde e da Paz, no bairro Padre Eustáquio, onde passaram pela Porta da Misericórdia. Na ocasião, houve missa presidida pelo arcebispo de Vitória (ES), dom Luiz Mancilha Vilela, e concelebrada pelos arcebispos de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, e de Juiz de Fora (MG), dom Gil Antônio Moreira.

Com informações da ascom do regional Leste 2 da CNBB