Em Volta Redonda, celebração ecumênica marca Dia de Oração pela Criação

Rio Paraíba do Sul foi tema da celebração

No Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, celebrado em 1º de setembro, a cidade de Volta Redonda (RJ) recebeu uma Celebração Ecumênica que reuniu representantes de diversas denominações religiosas e bispos do regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O evento começou na praça padre Eugênio Verweijen, atrás da igreja Santo Antônio, no bairro Niterói.

Durante a cerimônia, o bispo de Barra do Piraí- Volta Redonda e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso da CNBB, dom Francisco Biasin, acolheu os representantes de diferentes crenças e destacou a relevância do diálogo inter-religioso. “É muito importante receber os nossos irmãos e irmãs de outras representações religiosas, neste que é o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação e em especial com o nosso rio Paraíba do Sul, fonte de vida para todos nós”, disse.

O Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, instituído pelo papa Francisco em 2015 para motivar os católicos de todo o mundo a unirem-se face à “crise ecológica” mundial, teve como inspiração as iniciativas do patriarca ortodoxo Bartolomeu I e de seu antecessor Dimitrios que, de acordo com o papa, “durante muitos anos não cessaram de se pronunciar contra o pecado de causar danos à criação, chamando a atenção para a crise moral e espiritual que está na base dos problemas ambientais e da degradação”.

“Papa Francisco nos chama a tratar com misericórdia essa nossa Casa Comum. Hoje, no seu pronunciamento, na sua mensagem ao mundo, ele acrescenta duas novas obras de misericórdia, uma espiritual e uma temporal. Primeiro, poder contemplar essa natureza, casa comum, meio ambiente. Olhar e bendizer ao Senhor pela criação. E o segundo, ter atitudes concretas que cuidam da Casa Comum”, destacou o arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), cardeal Orani João Tempesta (foto abaixo).

Rio Paraíba do Sul

Importante recurso hídrico para a região, o Rio Paraíba do Sul, que corta a cidade de Volta Redonda e passa pela divisa do estado do Rio de Janeiro com Minas Gerais até chegar ao litoral fluminense, foi escolhido como tema da celebração.  A definição da temática aconteceu em julho, na cidade do Rio de Janeiro, durante encontro dos bispos que ressaltaram a necessidade de dar visibilidade às questões referentes ao Paraíba do Sul.

Após, o início do ato, os participantes saíram em caminhada até a beira-rio, onde plantaram mudas de espécie nativa para representar a necessidade da recuperação da mata ciliar e como compromisso de promover a ação ampliada onde atuam. A atividade contou com a participação de crianças da Infância Missionária.

Ainda, pela manhã, centenas de pessoas seguiram em direção à ponte Dom Waldyr Calheiros, onde realizaram um abraço simbólico ao rio Paraíba do Sul. O pastor Donizete Cavalheiro, representante do Conselho de Pastores de Volta Redonda, elogiou a iniciativa e convidou para a reflexão. “Deus nos deu o poder, o direito de cuidar da sua criação. Nós, como povo de Deus, independente da religião, precisamos cuidar do que Deus fez para nós”, disse. 

No período da tarde, os bispos receberam de forma reservada os técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), do Comitê do Médio Paraíba do Sul (CBH-MPS), da Comissão Ambiental Sul e um professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) que lhes apresentaram o panorama do Rio Paraíba do Sul. 

 

 

 Com informações e foto da diocese de Barra do Piraí-Volta Redonda (RJ)