Exortação Apostólica, Motu Proprio e Laicato são temas de formação em Campo Grande

Evento reuniu clero da arquidiocese

A arquidiocese de Campo Grande (MS) realizou, de 11 a 14 de julho, a Semana de Formação Permanente do Clero. Padres, diáconos e seminaristas participaram do evento que abordou a Exortação Apostólica Pós-sinodal Amoris Laetitia – sobre o amor na família, do papa Francisco; o Motu Proprio Mitis Iudex Domus Iesus, que trata da reforma do processo para as causas de declaração de nulidade do matrimônio no Código de Direito Canônico; e o documento 105 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade – Sal da terra e luz do mundo.

Segundo o arcebispo de Campo Grande, dom Dimas Lara Barbosa, a formação foi um momento de aprofundamento de temas próprios da formação pastoral. "Mas também um tempo para nos conhecermos melhor, amarmos mais para podermos juntos amar e servir o povo de Deus”, acrescentou. 

A Exortação Apostólica Amoris Laetitia foi abordada pelo bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom João Bosco Barbosa de Sousa, que também tratou de temáticas relacionadas à Pastoral Familiar. Foram dedicados dois dias de encontro para a temática.

Para dom João Bosco, o momento de formação “oferece um horizonte novo aos padres, diáconos, seminaristas, leigos e à Igreja toda de uma nova Pastoral Familiar”. O presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB considerou “muito importante a troca de ideias para que a arquidiocese possa buscar caminhos de ação conjunta para enfrentar esse grande desafio que é cuidar das famílias em um momento em que muitas delas sofrem tremendamente ação da cultura do provisório, do descarte, da superficialidade, do egoísmo”.

Ele destacou a necessidade de se estabelecer estratégias para que a família “possa brilhar de fato como uma fonte constante de alegria nas famílias e assim o Evangelho possa ser vivido de forma plena”.

“Tenho sentido muito interesse por parte das pessoas que estão aqui participando do encontro. Sei que esse encontro é mais demorado. Têm outros aspectos que serão tratados, mas nesse caso da Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amoris Laetitia que estamos tratando, eu acredito que ele oferece um horizonte muito amplo de reflexão e ação pastoral”.

Moto Proprio

O bispo auxiliar de São Paulo (SP) e presidente da Associação Brasileira de Canonistas, dom Sérgio de Deus Borges, tratou de alguns aspectos relevantes do Direito Canônico na prática pastoral, particularmente, no que diz respeito à nova metodologia de processos prévios de declaração de nulidade de matrimonio decorrentes do Motu Proprio Mitis Iudex Dominus Iesus, do papa Francisco. Também foram discutidas questões relativas ao registro de batismo de filhos de casais homoafetivos e outras questões próprias do Direito Canônico.

Leigos

O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da CNBB, Laudelino Augusto, falou a respeito do Documento 105 da CNBB, sobre os cristãos leigos e leigas, aprovado na última Assembleia Geral da CNBB, no mês de abril.

Laudelino também conduziu curso para lideranças leigas das paróquias de Campo Grande e abordou o documento na aula inaugural do segundo semestre do Instituto de Teologia (Itel), que reúne seminaristas das sete dioceses do regional Oeste 1 da CNBB.

“A grande novidade do documento, que retoma o Concílio Vaticano II, estudos e textos posteriores, é a questão do leigos e da leiga como sujeito eclesial. Isto está sendo interessante, tanto para os leigos, quanto para o clero, porque, de certa maneira, explicita nossa identidade, vocação, espiritualidade e missão, o que nos mostra o que é próprio da vocação como cristãos leigos e leigas”, conta Laudelino.

Com informações e foto da arquidiocese de Campo Grande (MS)