Escola de Liturgia da Amazônia realiza segunda etapa de formação

Celebração dominical da Palavra foi um dos temas abordados

Cerca de 70 agentes da Pastoral Litúrgica participaram da segunda etapa da Escola de Capacitação e Atualização Litúrgica para a Amazônia. O encontro ocorreu entre os dias 1º e 10 de julho, em Manaus (AM).

Nesta segunda etapa, foi abordada a realidade de  mais de 80% das comunidades da Amazônia, que celebram a eucaristia duas ou três vezes ao ano. 

Outras temáticas trabalhadas nesses dias foram o Ano Litúrgico; a Introdução aos sacramentos e os sacramentos da iniciação à vida cristã; Introdução aos sacramentais e as bênçãos.

De acordo com o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), frei Faustino Paludo, os participantes destacaram, além dos conteúdos ministrados, a metodologia empregada pelos assessores, em particular as vivências.

Segundo frei Faustino, o projeto de formação litúrgica na Amazônia tem por objetivo iniciar os agentes de pastoral das comunidades na perspectiva de uma liturgia missionária e inculturada. “A Escola de Liturgia visa atender as solicitações das Igrejas locais empenhadas na qualificação dos agentes de evangelização à serviço da vida em terras e águas amazônicas”, conta.

A Escola também pretende proporcionar estudo aprofundado da liturgia, segundo o Concilio Vaticano II, os documentos e orientações da Igreja do Brasil e da Amazônia, para os agentes das prelazias e dioceses do regional Norte 1 da CNBB e capacitar multiplicadores com a finalidade de compor, articular e promover uma melhor assessoria teológica litúrgica nas prelazias e dioceses.

A terceira etapa da Escola de Liturgia acontecerá de 25 de fevereiro a 5 de março de 2017, também em Manaus. 

A organização da Escola é pelo Instituto de Teologia, Pastoral e Ensino Superior da Amazônia (Itepes), em parceira com o regional Norte 1 da CNBB, as Comissões Episcopais para Amazônia e para Liturgia da CNBB e a Congregação Religiosa das Pias Discípulas do Divino Mestre. A coordenação é composta pelo diretor executivo do Itepes, padre Raimundo Vanthuy Neto, pelas religiosas irmã Célia e irmã Graça, além de leigos da arquidiocese de Manaus e da prelazia de Tefé (AM).