Conselho Editorial avalia revista sobre ecumenismo

Caminhos de Diálogo é uma publicação da Comissão Episcopal para o Ecumenismo da CNBB

A sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebeu nesta quinta-feira, dia 5, o Conselho Editorial da revista Caminhos de Diálogo, uma publicação da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso da entidade. O encontro tornou possível a alguns membros da diretoria da revista fazerem uma revisão do material e refletirem sobre novos rumos para que a revista chegue a mais instituições, alargando seu campo de presença e de conhecimento.

Publicada desde 2013, a revista Caminhos de Diálogo é uma publicação com fundamentos teológicos, doutrinais e pastorais para fortalecer a caminhada do movimento ecumênico. Seu conteúdo é voltado para universidades, seminários e casas de formação. “O objetivo é colocar no meio acadêmico e nas instâncias pastorais da nossa Igreja uma reflexão séria sobre o ecumenismo e o diálogo inter-religioso, por meio de artigos que não são apenas de divulgação, mas prevalentemente acadêmicos”, diz o bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda (RJ) e presidente da Comissão para o Ecumenismo da CNBB, dom Francisco Biasin.

O assessor da Comissão, padre Marcus Barbosa, explica a dimensão da publicação. “A gente tem materiais, subsídios pastorais mais diretos, com linguagem mais popular, mas essa revista caminha como um intermediário na dimensão da formação de formadores e de pessoas que desejam aprofundar a realidade ecumênica e o sentido do ecumenismo na vida das igrejas”, ressalta.

A publicação tem parceria com a Associação Nacional de Escolas Católicas (Anec), que disponibiliza a revista nas escolas e universidades vinculadas à entidade.

Dom Biasin observa como elemento promissor o fato que várias universidades, com destaque paras as Pontifícias Universidades Católicas, terem feito a troca de assinaturas, com o envio das publicações das instituições de ensino para a Comissão e o recebimento da revista Caminhos de Diálogo nos ambientes acadêmicos. O presidente da Comissão também conta que há o crescimento de assinaturas, além do recebimento de feedback em relação ao conteúdo, como cartas de apreço e algumas de “ crítica construtiva, no sentido de melhorar a própria revista”, lembra.

“A impressão que nós temos é que tem um campo muito aberto para o presente e para o futuro e gostaríamos que continuasse, porque é a única revista no Brasil que trata do Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso, portanto, ela expressa uma dimensão constitutiva da fé cristã que é a unidade”, afirma.

Revisão

Segundo padre Marcus a meta da reunião foi a revisão da revista e a busca por novos rumos para que a publicação chegue a outras instituições e alargue o campo de presença e de conhecimento do subsídio. Para ele, a Caminhos de Diálogo “tem um peso importante na formação para o ecumenismo e o diálogo inter-religioso no Brasil”.

Além de dom Biasin e padre Marcus, participaram da reunião outros três integrantes do Conselho Editorial da revista Caminhos de Diálogo:  padre Elias Wolf, que é o diretor da publicação; professor da PUC-PR, Marcial Maçaneiro, e o diretor executivo da Associação de Seminários Teológicos Evangélicos, reverendo Fernando Bortolletto Filho.