Centenas de Jovens participam de Romaria em Aparecida

Durante evento, bispos deram catequeses aos jovens

O Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (SP) recebe, neste final de semana, dias 9 e 10, centenas de jovens para a primeira Romaria da Juventude. Com o tema “Juventude com Cristo na casa de Maria”, o evento organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude reúne as diversas expressões juvenis da Igreja no Brasil em sintonia com a 54ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). 

O bispo de Caxias (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, dom Vilsom Basso, manifestou sua gratidão pela participação expressiva da juventude de vários lugares do Brasil. 

 

“Nós agradecemos a Deus e a Nossa Senhora Aparecida porque jovens de todos os recantos do Brasil vieram a Aparecida nesta primeira Romaria Nacional. Que Deus abençoe a Juventude e a Igreja possa continuar abraçando sempre essa causa, porque a Juventude é o presente, é o futuro de nossa Igreja”, desejou.

Tendas

Os bispos referenciais para a Juventude nos regionais da CNBB se dividiram, neste sábado, 9, pelas cinco tendas das expressões juvenis para conduzir catequeses.

Na tenda Rota 300, houve catequeses sobre “Espiritualidade da jovem Maria”, “Maria: Mãe das Vocações”, “Ecologia e vida”, “Obras de misericórdia” e “Maria, mãe da esperança”. O bispo de Barretos (SP), dom Milton Kenan Júnior, falou sobre as obras de misericórdia.

A tenda Movimentos teve as catequeses sobre os temas “Maria, a Rainha de toda a Criação”, inspirada no parágrafo 241 da encíclica Laudato Si, do papa Francisco, e “Mãe da Misericórdia ensina-nos a contemplar esse mundo com sabedoria”, com base na bula de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia Misericordiae Vultus. Esta pregação foi proferida pelo bispo de São Luiz de Cáceres (MT), dom Antonio Emídio Vilar. 

“Um tema, justamente, na casa da mãe, neste ano da Misericórdia, para que ela nos ensine a olhar esse mundo com o mesmo coração de mãe, com a sabedoria que ela recebeu, como dom do Espírito para também olhar essa humanidade tão necessitada da misericórdia”, explicou dom Vilar.

O bispo de Três Lagoas (MS), dom Luiz Gonçalves Knupp, conduziu a reflexão na tenda da Pastoral da Juventude, com o tema Missão. No espaço, também houve catequese sobre “Ecologia” e foi abordada a temática da Semana da Cidadania, que está em sintonia com a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016 e com o eixo ecologia da Rota 300. As atividades da tenda foram encerradas com uma ciranda pela vida da Juventude.

A primeira catequese da tenda Congregações foi sobre “Espiritualidade da jovem Maria”. O módulo contou com uma feira do carisma e encerrou com a pregação sobre “Maria, mãe da esperança”, com o bispo de Jaboticabal (SP), dom Eduardo Pinheiro da Silva.

A tenda Novas comunidades teve catequese sobre o tema “Juventude em missão com a mãe Aparecida”. Os jovens piuderam participar de uma roda de experiência missionária e de momentos de reflexão a respeito da missão, da assessoria e do projeto rota 300. “Maria e a nova evangelização” foi o tema da catequese com o bispo de Sobral (CE), dom José Luiz Gomes de Vasconcelos.

O bispo iniciou sua reflexão contextualizando os jovens na experiência da peregrinação, do tempo pascal, rumo a Pentecostes. “Então nós estamos no cenáculo com Maria, estamos para receber o Espírito Santo, para sermos essa Igreja missionária que nasceu a partir de Pentecostes, por isso é importante se situar dentro desse contexto. Maria foi a estrela da primeira evangelização. Foi Maria que congregou em torno dos apóstolos, que saíram cheios do Espírito Santo e anunciaram o evangelho a toda criatura”, explicou. 

“Hoje, Maria nos congrega novamente, congrega essa juventude maravilhosa, que sai em peregrinação”, disse dom Vasconcelos, que alertou aos participantes que a Romaria não é uma ocasião de turismo ou passeio. “Peregrinar significa sair, desinstalar-se, sair de si mesmo. É isso que nós queremos, sair para um encontro pessoal com o Divino Espírito Santo, com Jesus, o Divino Pai Eterno, com a Santíssima Trindade e com Maria e, a partir daí, sairmos em missão para uma nova evangelização”, disse.

Para o bispo de Sobral, uma nova evangelização precisa ser nova em seus métodos, na sua maneira de expressar-se, com o protagonismo jovem.

Na programação das tendas houve ainda oficinas, talk show, dinâmicas, momentos de partilha, animação, louvor e oração, rodas de conversa e intervenções artísticas.

Show evangelizador 

A programação da noite do primeiro dia de Romaria iniciou com um show evangelizador, apresentado pelo padre Joãozinho e que contou com vários nomes da música católica. 

Revezaram-se no palco padre Zezinho - que coordenou a atração ao lado do padre Joãozinho -, e o Grupo Ir ao Povo, Dunga, Olívia Ferreira, Gil Monteiro, Jake Trevisan, Canthares, Celione David, Diego Fernandes, Antônio Cardoso, Lucimare, Tiago Tomé e Thiago Costa.

“É bonito ver os bispos no meio do povo e o povo, principalmente os jovens, bem no coração dos bispos. Este foi um momento de graça e de bênção e de evangelização”, afirmou padre Joãozinho.

Após show evangelizador, procissão dos jovens com a Imagem de Nossa Senhora Aparecida, passando pela Porta da Misericórdia, até o altar central da basílica, de onde realizaram a meditação dos Mistérios Luminosos do terço. Entre cada mistério, um bispo conduziu uma reflexão.

Neste domingo, os jovens participam da missa com os bispos às 11 horas, na basílica do Santuário Nacional.

Confira as fotos do primeiro dia de Romaria Nacional da Juventude

Testemunhos

Os jovens partilharam suas experiências durante a primeira Romaria da juventude. Carlos Henrique, da diocese de Apucarana (PR), participou da pregação do arcebispo de Maringá (PR), dom Anuar Battisti. “Foi uma palestra voltada às vocações e os movimentos são vocações. No meio dos movimentos nascem vocações que se voltam para toda a juventude, não só do meu estado, mas para a juventude de todo o Brasil”, destacou o jovem.

Lucas José da Silveira, da diocese de São João del Rei (MG), destacou a oportunidade de conhecer novas pessoas, bispos de outros lugares e ter entrosamento e união dos diversos carismas juvenis. Lucas partilhou a experiência da catequese na tenda dos movimentos com o bispo auxiliar de Salvador (BA), dom Estevam dos Santos Silva Filho, “falando sobre a importância da ecologia, colocando, principalmente, Maria como protagonista nesse âmbito, onde nos educou, nos preparou para uma visão mais abrangente diante desse campo, porque a evangelização também parte através de você preservar e preparar um mundo melhor para os nossos descendentes”.

Membro da Pastoral da Juventude, a jovem Caroline Gomes, da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ), destacou a unidade a partir da inciativa da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB que “ofereceu um evento para todos, Pastoral da Juventude, Movimentos, Comunidades...”. Para Caroline foi muito bom ir ao Santuário Nacional de Aparecida “e encontrar com irmãos do Brasil inteiro e discutir temas sociais, principalmente ecologia, que é o que está se falando muito, em relação à Campanha [da Fraternidade de 2016] e, não só, mas também na sociedade”. “E participar da vigília, onde cada bispo pode falar um pouquinho para a gente do jovem e acima de tudo para que a gente continue firme, tendo Nossa Senhora como nossa intercessora e mãe e nosso exemplo maior de nunca desistir e, enquanto jovem, caminhar e estar em preparação para os trezentos anos, que vai ser um grande momento para todos nós”, completou.

A jovem Ingrid Matos, de São Miguel Paulista (SP), destacou as partilhas de experiências oferecidas nas tendas. “À tarde foi um momento de partilhar cada um o que faz na sua diocese e o que pode levar de bom e contribuir no seu trabalho pastoral”, contou.

Os jovens Monique e Elias de Sacramento (MG), na diocese de Uberaba (MG), participaram da tenda Rota 300 e ressaltaram a importância de eventos como a Romaria para a animação da juventude. “Do início ao fim, foi um momento bom para os jovens, pois realmente precisam disso, de evangelização, de participar de momentos assim, porque a gente sabe da deficiência que nossos jovens têm de se interagir, de participar de momentos que os levem a um mundo melhor, a mudar a nossa realidade”, considerou Monique. Para Elias “foi muito bom de estar participando”. Ele salientou os debates de temas importantes que os jovens devem levar para discussão na sociedade, como as questões políticas.